Quinta-feira, 8 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Prêmio Educadores do Brasil recebe inscrições

Daqui a nove anos, o Brasil será um país que valoriza o professor e terá educadores da rede pública com salários equivalentes aos de outros profissionais com a mesma escolaridade. Para que essa frase não seja apenas uma utopia, o país deverá cumprir até 2024 a meta número 17 do Plano Nacional de Educação (PNE). A fim de alcançar o objetivo, o Ministério da Educação (MEC) abriu as inscrições para o Prêmio Educadores do Brasil, que visa a incentivar boas práticas relacionadas à gestão e ao ensino nas escolas e promover a valorização dos docentes.

A iniciativa faz parte do conjunto de estratégias formuladas pelo MEC para atender às demandas traçadas no PNE e é realizada em parceria com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e instituições privadas e do terceiro setor, entre elas a Fundação Roberto Marinho.

Com cinco metas relacionadas à carreira docente presentes no PNE, o tema é visto como um dos principais eixos para obtenção de uma educação pública de qualidade. De acordo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), apenas 57,3% dos professores da educação básica se encontravam no patamar pretendido pela meta 17, ou seja, recebendo salários equivalentes aos de profissionais de outros setores com a mesma escolaridade.

O prêmio pretende alterar essa realidade incentivando professores e gestores através do reconhecimento de seu trabalho. As inscrições ficarão abertas até 14 de setembro no site www.educadoresdobrasil.org.br, e qualquer professor da educação básica da rede pública poderá concorrer. As escolas também podem participar da disputa, representadas por seus diretores. Ao final, serão premiados cinco professores — podendo receber até R$ 7 mil e com premiação extra para o melhor trabalho — em seis categorias. Além deles, serão selecionadas cinco escolas finalistas, das quais a ganhadora receberá R$ 30 mil.

Fonte: O Extra.

Escreva um comentário

Seu e-mail não será publicado.