Carga tributária bate recorde em 2012 e chega a 36,27% do PIB

A carga tributária paga pelos brasileiros somou recordes 36,27% do Produto Interno Bruto (PIB, conjunto de bens e serviços produzidos no país) no ano passado, chegando a R$ 1,59 trilhão. A conclusão é do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). O número é maior que o registrado em 2011, quando ficou em 36,02% — ou R$ 1,49 trilhão. Nos últimos dez anos, a carga tributária registrou um acréscimo de 3,63 pontos percentuais.

De acordo com o coordenador de estudos do IBPT, Gilberto Luiz do Amaral, o baixo crescimento do PIB no ano passado, de 0,9%, e a elevada arrecadação tributária ocasionaram o aumento de 7,03% na carga tributária.

— O IBPT havia previsto uma pequena queda da carga tributária de 2012, mas a surpreendente arrecadação de novembro e dezembro e o fraco desempenho do PIB resultaram em novo recorde histórico. Nem mesmo as desonerações e o fraco desempenho do PIB conseguiram diminuir a carga tributária brasileira — afirma Amaral.

Taxas estaduais somem R$ 31,38 bilhões
Segundo o coordenador do IBPT, as desonerações, feitas para casos específicos, não se refletem em queda da carga tributária.

— É necessária a diminuição efetiva das alíquotas para todos os setores da economia — explica ele.

No ano passado, a arrecadação tributária chegou a R$ 4,36 bilhões por dia, ou R$ 3,03 milhões por minuto.

O estudo demonstra que a arrecadação para o INSS — Previdência Social foi o item que registrou a maior evolução em valor, de R$ 30,73 bilhões, em relação ao ano de 2011. O ICMS vem em segundo lugar, com R$ 28,48 bilhões, seguido da Cofins, com R$ 16,39 bilhões, e do Imposto de Renda, com R$ 14,33 bilhões.

Os tributos federais apresentaram crescimento de R$ 65,38 bilhões, respondendo por 69,96% do total. O destaque ficou com o Imposto sobre Importação, com a maior alta percentual. O avanço foi de 16,39%, para R$ 31,11 bilhões.

Os tributos estaduais somaram R$ 31,38 bilhões, com 24,71% do total arrecadado. Já os tributos municipais ficaram em R$ 8,11 bilhões, com 5,33% do total.

Fonte: O Globo

RELACIONADOS

Deixe um comentário