“Empreendedorismo é mais tapa na cara do que acerto”, diz Bel Pesce

Bel deu seu depoimento no Congresso Global de Empreendedorismo

A paulistana Bel Pesce, autora do livro A menina do Vale, deu seu depoimento durante o Congresso Global de Empreendedorismo, que termina nesta quinta-feira, 21, no Rio de Janeiro. A empreendedora contou três histórias: como entrou no renomado Massachusetts Institute of Technology (MIT), como conseguiu emprego na Microsoft e depois, sobre seu novo projeto, o FazINOVA. “Empreendedorismo está muito glamourizado, mas é mais tapa na cara do que acerto”, disse.

A primeira história contada por Bel foi sobre quando decidiu estudar no MIT. Ela perdeu o prazo para se inscrever na prova de múltipla escolha e para ser entrevistada por um ex-aluno do MIT. A solução foi descobrir o endereço de um ex-aluno e bater na porta dele.

Já para a prova, ela resolveu implorar para fazer o exame. E como as provas vinham contadas dos Estados Unidos, ela torceu para alguém faltar no dia. O resultado já é conhecido e ela foi aprovada. “Se tem uma vaga, alguém vai pegar essa vaga e por que não você? É uma questão de descobrir maneiras alternativas de correr atrás do que você quer”, afirmou.

Mas depois da aprovação, Bel precisou correr atrás do dinheiro para pagar o curso e se sustentar. Para juntar dinheiro, ela começou a trabalhar no Etapa, onde estudou. “Aprendi com 18 anos que eu tinha muito mais controle da minha vida. Aprendi que a gente pode criar a nossa própria sorte”, contou.

Emprego. Bel trabalhou na Microsoft e resolveu contar sobre como foi a entrevista final para o cargo, uma mistura de engenheiro de produto e desenvolvedor. Ela foi avisada que a entrevista seria apenas uma pergunta: você é responsável por um grande hotel que está sendo montado, grande, com vários andares. Estamos preocupados com o tempo que os elevadores vão demorar para chegar e seu trabalho é minimizar o tempo de espera. Como você vai fazer isso?

“Eu não tinha resposta e resolvi fazer perguntas. Se já existia um orçamento certo, quem era o público do hotel, o que tem perto, qual o prazo. Uma coisa é falar sua ideia. Outra coisa é você tentar entender o mercado, o projeto”, afirmou.

Na hora de dar ideias, Bel sugeriu o rastreamento das pessoas que saíssem dos quartos, via cartão ou câmera, para direcionar o elevador para o andar; ou predefinir a localização dos elevadores, um no térreo, outro no meio e outro no topo; entre outras sugestões. “Não tinha uma resposta certa”, relatou.

Aulas. Na terceira história, Bel aproveitou para falar do seu novo projeto, o FazINOVA, um programa de cursos. Mas primeiro ela contou sobre a história do livro “A menina do Vale”, resultado de anotações que sempre fez no seu dia a dia. O livro, lançado primeiramente no seu Facebook em maio de 2012, alcançou 100 mil downloads em uma semana e a marca de 1 milhão, depois de dois meses.

Quando viu o tamanho interesse sobre o assunto, a empreendedora resolveu tirar do papel um dos seus projetos, sua escola dos sonhos. Depois de sete anos morando nos Estados Unidos, Bel voltou há um mês para o Brasil para tocar o FazINOVA, focado em empreendedorismo. Inicialmente, Bel dará três cursos (grandes habilidades do dia a dia, empreendedorismo sem enrolação e inovação aplicada a desafios reais).

Fonte: O Estado de São Paulo

RELACIONADOS

Deixe um comentário