Rodrigo Constantino

As notícias sobre a Venezuela já mudaram de patamar. Agora concorrem diretamente com os programas de humor do Porta dos Fundos. A ópera fica mais bufa a cada dia. O socialismo do século 21 é muito parecido com aquele do século 20. Tão parecido, que se torna mais previsível do que as fases da lua.

A última? O governo resolveu intervir na fábrica de papel higiênico, produto de luxo por lá, que está em falta nos mercados. Parece piada, eu sei. Mas é muito sem graça para os venezuelanos de carne e osso, vítimas (e muitos cúmplices) dessa boçalidade chamada socialismo bolivariano. Aquele que o PT gosta de flertar. Vejam o que aconteceu:

“O governo da Venezuela decretou intervenção em uma fábrica de papel higiênico e colocou as instalações sob custódia da Polícia Militar.

O governo informou que a ocupação da fábrica é temporária, para garantir o abastecimento de papel higiênico no mercado.

A falta de papel higiênico, um dos produtos de necessidades básicas em falta no mercado por causa da intervenção do governo na economia, vem gerando fortes críticas à política econômica da Venezuela.

O anúncio foi feito na tarde de sexta-feira pela Superintendência Nacional de Custos e Preços Justos (Sundecop), que disse em comunicado que a medida responde “à obrigação do Estado de garantir o abastecimento normal de produtos de primeira necessidade para o povo“.

Com a intervenção, o governo vai verificar todos os processos referentes à produção, distribuição e comercialização do papel higiênico e poderá requerer informações referentes a inventários, custos de produção e canais de comercialização, entre outros pontos.

Enquanto durar a ocupação oficial, a fábrica denominada Manpa, localizada no estado de Araguá, no centro Norte do país, será ‘resguardada’ por um comando regional da Guarda Nacional Bolivariana, a polícia militarizada do país, informou o comunicado oficial.

A falta de papel higiênico no mercado se converteu este ano no problema mais visível dos crônicos episódios de desabastecimento de produtos de consumo massivo e medicamentos enfrentados pela economia venezuelana.

O governo atribui a falta de produtos à especulação de setores empresariais e tem denunciado manobras para desestabilizar a economia. Enquanto isso, a oposição e empresários responsabilizam a falta de dólares para financiar importações de matérias primas.

A situação obriga muitos venezuelanos a recorrer a vários mercados ou a enfrentar longas filas para conseguir os produtos que precisam.

O governo importou 50 milhões de rolos de papel higiênico para tentar resolver o problema de desabastecimento e esta semana aprovou a compra de 3,4 milhões de toneladas de alimentos para os próximos dez meses para garantir o abastecimento, especialmente na temporada que antecede o Natal.”

Bocejos. Que tédio acompanhar a desgraça que é o socialismo. Em todos os países, em todos os continentes, em todas as épocas: sempre a mesma coisa. O governo toma medidas populistas e intervencionistas estúpidas, o mercado reage e o resultado são filas, escassez de produtos básicos e mercado negro de corrupção.

O governo, então, reage com mais intervencionismo, até militar, e culpa enquanto isso a ganância dos capitalistas e especuladores, os bodes expiatórios prediletos. Nada diferente aqui. Por acaso a ganância dos capitalistas faz faltar papel higiênico nos Estados Unidos ou na Austrália? Pois é.

Eu tento ser moderado, sutil, educado, mas confesso que não dá para dizer outra coisa: quem defende o socialismo em pleno século 21, ou é muito estúpido, ou canalha. Alternativas não há. Tenho dito!

Fonte: Blog do Rodrigo Constantino

Deixe um comentário

1 comment

  1. Gilberto Naldi

    Pelo jeito, o problema por lá, começou de “baixo” para cima!
    Se eles gostam, eles que se limpem!
    Filme velho esse, heim? Me lembro do Chile!