Para Joaquim Barbosa, criação de novos partidos é “péssima” para o país

Presidente do STF diz que grande quantidade de legendas é ruim para a estabilidade do sistema político

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, considerou “péssima” a criação de novos partidos e criticou a proliferação de siglas no Brasil. Há dez dias, o TSE aprovou a criação de mais dois partidos — o PROS e o Solidariedade —, aumentando para 32 o número de partidos no país. Barbosa defendeu a cláusula de barreira de representatividade, proposta que já foi aprovada pelo Congresso e derrubada pela Suprema Corte.

“Isso é péssimo. Isso não é bom para a estabilidade do sistema político brasileiro. Nenhum sistema político funciona bem com dez, 12, 15, muito menos com 30 partidos”, disse Barbosa. Ele ainda completou: “Este é o caminho, o da representatividade. Só sobrevivem aqueles partidos que continuam a ter representatividade no Congresso”.

O presidente do STF disse considerar um episódio “encerrado” a detenção por nove horas, no Campus da Universidade Yale, nos Estados Unidos, de uma repórter de “O Estado de S. Paulo”, que tentava acompanhar uma palestra ministrada por ele na sexta-feira passada.

“Eu não tenho muito a dizer. Eu estava no evento quando isso ocorreu. Não presenciei, não conheço a jornalista, não vi a jornalista. A leitura que faço é que o episódio está encerrado”, afirmou Barbosa.

Fonte: O Globo

RELACIONADOS

Deixe um comentário