Entre 110 países, congressistas no Brasil são os que ganham mais depois dos EUA

Paulo de Moura

Em comparação com 110 países, os congressistas brasileiros ocupam a 2ª posição das remunerações mais altas. O gasto anual com cada um dos 594 parlamentares, sendo 513 deputados e 81 senadores, é de US$ 7,4 milhões. Perdemos apenas para o Congresso norte-americano que gasta US$ 9,6 milhões anuais. A França ficou em 17º lugar no ranking, que é realizado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em parceria com a  União Interparlamentar (UIP).

A pesquisa também revela o orçamento do Congresso por habitante. No Brasil, cada congressista custa cerca de US$ 22 por habitante. As despesas do Congresso para 2013 representam 0,46% de todos os gastos previstos pela União.

O professor de ciência política e especialista do Instituto Millenium, Paulo de Moura, critica o alto custo do legislativo nacional, mas ressalta que essas distorções não são uma exclusividade do Congresso. “Será que a relação custo benefício do Executivo e do Judiciário do nosso país não é igualmente desfavorável aos pagadores de impostos?”.

Reforma política

Historicamente os interesses individuais tem prejudicado o debate sobre as mudanças no regime político. Isso gera um cenário contraditório, pois embora todos concordem sobre a necessidade de uma reforma política poucos estão dispostos a mudar as regras do jogo.

Citando o projeto para a implantação do voto distrital, o professor chama atenção para a dificuldade de promover mudanças. “O voto distrital mudaria a composição do Legislativo de forma imprevisível. Quem vota a reforma são os políticos que se elegeram com as regras vigentes. Porque eles quereriam mudar a regra?”

Sobre a importância da revisão dos gastos públicos para a concretização de uma reforma política no Brasil, Moura conclui que não existe garantia de que a reforma pudesse enxugar o Orçamento da União.

RELACIONADOS

Deixe um comentário

1 comment

  1. Eduardo Fernandes

    O problema nõ se restringe ao que ganham, mas ao que devolvem. A relação custo/beneficio do Congresso e Judiciário rasileiros é péssima. As Leis e que o cidadão precisam nunca são elaboradas e o Judiciário anda sempre a passo de tartaruga. É o único setor em que o advento da Informática não ajudpu em nada. Escreve-se demais. Um processo durar 20 anos para ser concluido é um caos absoluto.