Tonet Camargo defende caráter democrático da mídia brasileira

O vice-presidente de relações institucionais das Organizações Globo, Paulo Tonet Camargo, é o entrevistado da edição de julho da revista “Tela Viva”, publicação voltada para o mercado de TV, produção audiovisual e mídias digitais. Tonet, que é conselheiro da Associação Brasileira de Empresas de Radiodifusão e Televisão (Abert), falou sobre o mercado de comunicação brasileiro, novas destinações da faixa de 700 MHz, regulação do setor de rádio e televisão e marco civil da internet.

Sobre o mercado de comunicação, o executivo reiterou as declarações feitas a parlamentares e representantes da sociedade civil em audiência pública realizada, recentemente, no Congresso Nacional. Conforme os princípios da Constituição de 1988, que reserva um capítulo para a Comunicação Social elaborado com a participação de diversos setores sociais, a mídia brasileira é democrática, afirmou ao repórter Samuel Possebon.

Tonet Camargo considera um “mito” o discurso de que a legislação para o setor está ultrapassada. “Isso tem sido repetido a toda hora. Não é verdade. Depois de 1962, sem falar no último regulamento de radiodifusão, que foi revisto em 2012, a regulamentação tem sido mexida seguidamente”, declarou.

O conselheiro da Abert comentou ainda sobre mudanças no mercado de comunicação causadas pelo impacto das novas tecnologias, políticas de fomento para a digitalização das emissoras de televisão e swittch-off.

Leia a entrevista aqui

Fonte: Abert

RELACIONADOS

Deixe um comentário