Três em cada dez brasileiros têm medo de falhar como empreendedor

De acordo com a pesquisa GEM, 88% dos entrevistados consideram o empreendedorismo como uma boa opção de carreira

Três em cada dez brasileiros que encontram uma oportunidade para empreender têm medo de falhar no mundo dos negócios. Esse número já foi maior. Em 2008, 43% dos empreendedores tinham medo de falhar. É o que mostra a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor 2012 (GEM) divulgada nesta quinta-feira, dia 31, pelo Sebrae em parceria com o Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP).

Na avaliação do diretor-presidente do IBQP, Sandro Vieira, essa situação está ligada à forte inserção no mercado de trabalho, estimulado por uma competição intensa e um grau de maturidade acelerado. “O nível de maturidade é acelerado pela competitividade. Aquilo que o profissional levaria dez anos para aprender, ele aprende em dois. Com isso, ele se sente mais seguro e maduro no mercado de trabalho e tende a se sentir mais seguro para empreender”, explica Vieira.

A pesquisa ainda mostra que 88,1% dos entrevistados consideram o empreendedorismo como uma boa opção de carreira. É o maior índice dos últimos cinco anos. Em 2008, o negócio próprio era bem visto por 67,56% dos entrevistados.

Com 19 anos, o desenvolvedor Fernando Saragoça, é sócio da 256 Pixels com mais três amigos: Mauricio Segura, Luis Soto e Bia Cotrin, todos com menos de 30 anos. A empresa foi criada em agosto do ano passado. “Sempre pensei em ter um negócio próprio, mas nunca pensei que seria tão cedo”, conta Saragoça, que trabalhou em duas startups antes de empreender.

A empresa é responsável pelo aplicativo PhotoPost para revelação de fotos do Instagram e Facebook, que são enviadas para qualquer lugar no Brasil. A equipe investiu R$ 10 mil para abrir e divulgar o negócio. Por enquanto, apenas o desenvolvedor deixou o emprego para focar na 256 Pixels. Os planos são desenvolver o aplicativo para o sistema Android (hoje apenas para aparelhos Apple) e lançar novas ferramentas para, depois, pensar em abrir um escritório.

Sonho. A pesquisa ainda apontou os sonhos do brasileiro. Em primeiro lugar, apareceu a opção viajar pelo Brasil, seguida da compra da casa própria e ter um negócio próprio. Vieira destaca as duas características de um movimento econômico (viajar pelo Brasil e atividade empreendedora) e a relação direta com o potencial de mercado para a indústria do turismo e a economia criativa. “Fazendo uma relação com a Copa do Mundo e Olimpíadas podemos apontar uma tendência que a atividade empreendedora é estimulada até pela questão da indústria do turismo no Brasil”, diz.

Fonte: O Estado de São Paulo

RELACIONADOS

Deixe um comentário