Qual sua opinião sobre a exposição censurada na Bienal?

Antes mesmo do início da Bienal de São Paulo, a exposição “Inimigos” do artista Gil Vicente deu o que falar. Trata-se de uma série de desenhos a carvão onde o artista se autorretrata matando FHC, Lula, Ahmadinejad, a rainha Elizabeth II e outras personalidades. A OAB divulgou nota de repúdio e ameaçou processar a Fundação Bienal caso a série fosse exposta, sob alegação de “apologia ao crime”. Confira a nota da OAB abaixo, na íntegra:

“Uma obra de arte, embora livremente e sem limites expresse a criatividade do seu autor, deve ter determinados limites para sua exposição pública. Um deles é não fazer apologia ao crime como estabelece a vedação inscrita no Código Penal Brasileiro.
A série de quadros denominada “Inimigos”, do artista plástico Gil Vicente, é composta por obras as quais retratam, dentre outras, o autor atirando contra a cabeça do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, noutra mostra o mesmo autor, de posse de uma faca, degolando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Essas obras, mais do que revelar o desprezo do autor pelas figuras humanas que retrata como suas vítimas, demonstra um desrespeito pelas instituições que tais pessoas representam, como também o desprezo pelo poder instituído, incitando ao crime e à violência.
Certamente não se pode impedir que uma obra seja criada, mas se deve impedir que seja exposta à sociedade em espaço público se tal obra afronta a paz social, o estado de direito e a democracia, principalmente quando pela obra, em tese, se faz apologia de crime.
Por esse motivo é que a OAB/SP está oficiando os curadores da Bienal de São Paulo, para que essas obras de Gil Vicente, da série “Inimigos” não sejam expostas naquela importante mostra.”

E você, o que acha? As figuras de Gil Vicente realmente devem ser proibidas ou a iniciativa da OAB fere a liberdade de expressão?

RELACIONADOS

Deixe um comentário

9 comments

  1. Regina Helene

    Arte é a manifestação da Vida, é inspiração divina ,assim sendo dentro deste meu entendimento , o que se vê não é arte,pois atenta contra o maior valor que a fundamenta.
    Foi sim, um instrumento sem ética para conseguir o auê que queria (marketing)e money.Puro egocentrismo disfarçado em mensagem de revolta.

  2. Ricardo Froes

    Não chego a afirmar que sou contra qualquer tipo de censura na arte. A censura etária, por exemplo, muitas vezes é indispensável. Nesse caso específico, o que vejo é apenas um extremo mau gosto do artista e, como gosto é discutível, não vejo nada para ser censurado.

    Quem conhece um pouquinho da história da arte vai se lembrar que uma grande porcentagem das obras pictóricas –no caso é sobre elas que estamos falando – que são hoje consideradas como obras-primas, foram objetos de indignação da sociedade, da igreja e da realeza. Até mesmo no século passado, temos os ícones Dali e Picasso, que não fizeram outra coisa a ser não provocar choques através das suas obras.

    É lógico que eu não estou querendo que a magnitude do artista em questão seja posta em confronto com Dali e Picasso, mas acho que ele tem o direito de manifestar a sua arte da maneira que bem entender. Essa nova moda do “politicamente correto” não pode e nem deve ser incorporada pela arte sob pena de se perder muita coisa boa.

  3. Joao

    Afronta ‘a paz social, democracia e estado de direito sao as acoes desses governos corruptos que a’i estao contra os quais a OAB pouco ou nada tem feito. A simbologia da arte, mesmo quando se apresenta fora de determinados parametros, deve ser livre como expressao do ser humano em sua essencia.

  4. Regina helene

    João , esqueça a OAB que realmente não age de acordo com os propósitos que deveriam dar-lhe sustentação para existir.
    Pense pelos princípios que “deveriam”(ideal) nortear uma sociedade, que se sente violentada por pessoas poderosas sem caráter, e que busca ser diferente do vivenciado. Deveríamos repetir os meios que renegamos, a violência, a coação, o terror….para alcançar a justiça?Digo, NÃO.Pois ,isto seria propagar eternamente um ciclo com o conteúdo errado .Quebrar este ciclo será utilizar a ética como convicção contrariando o que nos indigna .Só assim transformaremos a realidade rejeitada e romperemos com o que nos faz mal.
    Veja ,desculpas para fundamentar comportamentos violentos sempre existirão(ex. o assassino se diz assassino porque foi maltratado, sofreu abuso , quando criança ,e bá , bá , bá), mas estes fatos podem fundamentar e dar o aval para ….?
    Desculpe-me , mas isto não é simbologia .A simbologia não é representada pelo realismo.A simbologia é mensagem codificada , revelada pela intuição , e não manifesta como cópia de nossa realidade racional.
    Se o artista não colocasse individuos reais na posição de vítimas , tudo mudaria.No caso presente só posso dizer que é incitação a violência contra tais pessoas(reais/vivas….. ,é clamar contra a vida deles, é difundir valores sociais negativos.Mas como estamos na época do vale tudo ………que se traveste de politicamente correto ……..
    E chega , eu não vou dar mais cartaz ,tratando deste assunto ,para quem quer aparecer no big brother. ( o artista) . Já conseguiu o que queria, ibope.

  5. Regina Helene

    Blog de um Brasileiro , no momento que se expõe agressivamente em relação aos que pensam diferentemente de você , tornou-se um verme também, não é?Pois não só os censurou , como os censurou com violência.
    Adorei o seu blog , escreve muito bem.
    Forte abraço,

  6. Cristiana Castro

    O uso da ” censura” para marketar eventos é truque velho. Eu já vi a ” propaganda” um monte de vezes.

  7. Diogo Brito

    O auto retrato define bem o motivo de criar os quadros “inimigos”. O Estado talves possa impor a censura nas organizações, corporações e nossos cidadãos. Mas já mais irá censurar o livre pensamento humano.

    Moro em Minas Gerais e não poderia ir à Bienal, mas graças a Internet que, AINDA é um espaço livre, pude ver os quadros devido a repercussão do caso.

    acredito que muitas pessoas também não puderam ir mas viram os quadros e consequentemente também ficaram indignadas com a censura.

  8. Ivan

    Muito legal os quadros!

    No entanto, não se pode falar de censura nesse caso.

    Incitar ao assassinato de figuras políticas é crime. Acho que a exposição é interessante, mas realmente não faz sentido a violência tornar-se uma solução para problemas políticos.

    Por favor, dizer que “fulano deve morrer”, seja com palavras ou imagens, não tem nada a ver com livre expressão do pensamento humano.