Quem é a direita que irá se unir contra o Lulismo?

Quem é ou faz parte da direita que vai se unir contra o Lulismo? Serra? Marina da Silva? Estes são “a direita”? Ou será o DEM, auto-declarado centro-esquerda? Ou ainda vamos “nós”, cavaleiros jedi[i], nos aliar contra o petismo em prol da civilização ocidental?

Eu nasci contra o petismo, por assim dizer, e não preciso me aliar a ninguém para combatê-lo. E o Serra não é direita, é apenas uma esquerda democrática, com agenda. É um brasileiro pensando que vive na Noruega. Só isso. Os conservadores não são liberais no Brasil; são apenas preconceituosos, anti-gays, muitas vezes racistas, contrários ao livre-mercado, defensores de um “empresariado nacional”, e carolas das mais diversas religiões, indo do protestantismo obscuro ao catolicismo obscuro pré-Concilio do Vaticano II.

Os liberais no Brasil, se pegarmos pelo liberalismo econômico, estão mais próximos da esquerda tucana nos costumes do que da esquerda petista, porque são favoráveis ao aborto, a extensão do ensino universitário, e de incentivos ao desenvolvimento industrial. Tem mais liberal no PSDB que dentro do Instituto Liberal, se formos procurar bem.

A parte conservadora da direita se alinha com o PT no combate ao aborto (que é defendido pelas bases carolas do PT). Anda junto com a ICAR [ii] e a CNBB nas agendas “morais” (exceto se o assunto for Amazônia, claro). Tem medo de camisinha e de baile funk. Quer censura na TV, odeia gay e se pudesse casava a filha com um coronel do Exército.

A parte liberal da direita se alinha com o PSDB na liberação do aborto, com o PV na liberação da drogas, com a turma do BNDES na liberação das verbas e com as ONGS na liberação das células-tronco. Evita carolas, e passa longe das missas, cultos e terreiros de umbanda. Ao contrário dos EUA, política econômica e moral religiosa são coisas que não caminham juntas no Brasil. Lá é fácil associar republicanismo ao conservadorismo moral e democratismo a condutas liberais. Da mesma forma, é fácil associar os republicanos a guerras, petróleo e corte de impostos e os democratas a escândalos sexuais, sistemas públicos de saúde e impostos mais elevados para os ricos.

Aqui no Brasil não. O mesmo eleitor do Lula que quer que a filha case virgem, quer camisinha de graça para o filho. Também quer posto de saúde e escola grátis pra todo mundo, além de uma bolsa família pela prole. O cara que defende que a “Petrobras é nossa”, e que o “rouba, mas faz” é aceitável, também quer o fim das passeatas gay e a proibição do ateísmo militante.

Para uma pessoa ser liberal nos costumes e na economia só há um caminho: aumento da escolaridade, com leituras variadas no processo de ensino e respeito ao debate e às opiniões divergentes. Nada de radicalismo, nem à direita, nem à esquerda. Sem isso, não há liberalismo em país nenhum do mundo. A parte central do eleitorado, não ideológica, pragmática, oscila entre as agendas liberais e conservadoras tendo como norte o pragmatismo econômico, porque são suficientemente escolarizadas para isso.

Daqui uns anos, se a China continuar educando seus cidadãos, dando-lhes boas escolas e ensinando uma visão pragmática da vida, o comunismo chinês vai convergir com a busca pelos direitos humanos. Talvez a China até vire uma democracia como a América. E se os EUA desistirem de educar sua população e deixarem tudo na mão dos obscurantistas que não acreditam em Darwin (mas acreditam em Papai Noel), pode ser que os EUA se tornem só mais uma província da América Latrina. A chave de tudo está na educação, e na educação formal mesmo, com diplominha, que forma homens massa e gente medíocre. Nada de formação de sábios iluminados para dirigir a República de Homens gregos altos, fortes, bonitos, brancos e conservadores cristãos.
O texto termina sem resposta, porque eu realmente não sei qual é a direita que existe no Brasil. Quem vai se unir contra o lulismo? Os que estão sendo prejudicados por ele hoje? Isto não significaria que as pessoas que hoje estão contra o Lula estão comprometidas com uma agenda liberal ou ainda com uma agenda conservadora. Ou que são pessoas comprometidas com o federalismo ou a reforma fiscal. A verdade é que não existe reação no Brasil, assim como não existe revolução. Existe apenas o pemedebismo aplicado como sistema.

[i] Aos desavisados, Jedi lê-se “Gedai”

[ii] ICAR – Igreja Católica Apostólica Romana, aquela do papa para quem não sabe.

Por Fernando R. F. de Lima

Blog DEMOCRACIA E LIBERDADE

RELACIONADOS

Deixe um comentário

1 comment

  1. Anselmo Heidrich

    Bravo, Fernando! Disse tudo e um pouco mais! Excelente!