Terça-feira, 6 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Startup brasileira é selecionada para o Demo Day

A startup brasileira Love Mondays foi uma das selecionadas pelo Google para participar do Demo Day em dezembro. O evento, organizado pelo Google para Empreendedores, foi elaborado este ano com foco em mulheres. Um dos critérios de seleção para as empresas era ter entre os fundadores ao menos uma mulher.

Das 450 empresas que se inscreveram, 11 foram selecionadas. A Love Mondays é a única representante brasileira, ficando ao lado de negócios do Canadá, Israel, México, Coreia do Sul, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos.

“As mulheres têm um problema de acesso ao capital de risco. Com este evento o que buscamos é conectar às empreendedoras com os investidores e fomentar uma mentalidade que inclua a todos”, disse à Agência EFE Mary Groove, diretora da divisão do Google para Empreendedores.

Luciana Caletti, que fundou a Love Mondays ao lado dos sócios Dave Curran e Shane O’Grady, afirmou que a equipe ficou muito feliz com a notícia. O site lista os salários e a satisfação dos funcionários no Brasil por cargo e por companhia. Os interessados se cadastram e podem compartilhar dados sobre seus locais de trabalho, que permanecem anônimos. A proposta é disponibilizar informações para ajudar profissionais a fazer suas escolhas de carreira.

A startup ficou sabendo da competição através da Aceleratech. Foi necessário preencher um formulário com dados da empresa, passar por uma entrevista e enviar uma apresentação sobre o negócio.

Em São Francisco, as empresas selecionadas terão mentorias, espaço para networking e, o mais importante, a oportunidade de apresentar suas ideias para investidores. “A expectativa é aprender muito, entrar em contato com startups de outros países, com empreendedores que já estão em uma etapa mais avançada e com possíveis investidores”, diz Luciana.

Atualmente, o Love Mondays tem um milhão de visitas por mês e conta com 400 mil avaliações de 60 mil empresas. No ano passado, a empresa conseguiu um aporte da Kaszek Ventures, que pertence aos cofundadores do Mercado Livre, Hernán Kazah e Nicolas Szekasy.

Fonte: Época Negócios, 21/11/2015

Escreva um comentário

Seu e-mail não será publicado.