Último dia para garantir novo livro de Bolívar Lamounier com desconto

Cientista político enfrenta com coragem os temas mais espinhosos do debate acadêmico brasileiro; aproveite o cupom promocional de -15%

Ainda dá tempo de garantir os livros indicados pelo Instituto Millenium na loja da Amazon com 15% de desconto! As obras vão de lançamentos como “Democracia tropical” (Estação Brasil, 2017), de Fernando Gabeira, e “O homem que pensou o Brasil – Trajetória intelectual de Roberto Campos” (Appris, 2017), de Paulo Roberto de Almeida, a importantes clássicos da literatura liberal, como “Capitalismo e liberdade” (LTC, 2014), do prêmio Nobel de economia Milton Friedman. Para conseguir o desconto, basta utilizar o cupom IMILLENIUM15 na página de confirmação da compra. Mas é importante lembrar, a promoção é válida até o dia 31 de maio!

Confira aqui a lista completa de títulos

Cada leitor poderá usufruir deste cupom somente uma vez. Os livros indicados tratam de política, filosofia, economia e empreendedorismo. Veja alguns dos mais procurados:

Bolivar“Liberais e antiliberais” (Companhia das Letras, 2016)
“Por um lado, perseguido pela direita, que o levou à prisão política. Por outro, patrulhado pela esquerda. Apesar disso, Bolívar Lamounier sempre manteve a independência intelectual. Neste novo livro, o sociólogo reflete sobre o conflito entre a democracia liberal, o marxismo e o fascismo. Comprovando sua destreza com as palavras, ele enfrenta com coragem os temas mais espinhosos do debate acadêmico brasileiro — como o silêncio das esquerdas acerca dos resultados fracassados das revoluções socialistas. Ao final, o livro traz ainda uma valiosa bibliografia comentada, que conta com títulos de nomes como Fernando Henrique Cardoso, Jean-Paul Sartre, Max Weber e Montesquieu.”

Screenshot (4)“Reinventando o capitalismo” (Portfolio-Penguin, 2015)
A onda de liberalização que varreu os mercados nas décadas de 1980 e 1990 afetou as maneiras como os governos gerenciam as suas economias. Dentro desse contexto, o livro de Aldo Musacchio e Sergio G. Lazzarini analisa a ascensão de uma nova espécie de capitalismo de Estado em que os governos interagem com os investidores privados e, muitas vezes, usam sua influência para auxiliar setores ou empresas de olho em dividendos políticos. Entre os exemplos estudados estão o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a Petrobras e a Vale.

Screenshot (5)“Edmund Burke” (É Realizações, 2016)
A mais completa biografia da vida, obra e pensamento de Edmund Burke. Neste incrível volume, com textos inéditos, e especialmente elaborados para a versão brasileira do livro de Russel Kirk, os leitores descobrirão que Burke foi “o primeiro estadista a reconhecer que não há resposta coerente ao iluminismo além do conservadorismo social e político”. Um livro para todos que se interessam pelo pensamento burkeano, escrito por seu mais original discípulo norte-americano.

 

Belindia“Belíndia 2.0 – Fábulas e ensaios sobre o país dos contrastes” (Civilização Brasileira, 2012)
Em 1974, Edmar Bacha cunhou o termo Belíndia para ilustrar o que seria a distribuição de renda no Brasil: um disparate entre as condições luxuosas da Bélgica e a miséria da Índia. Bacha foi presidente do BNDES e um dos principais mentores do Plano Real. que tendo uma resposta positiva na economia brasileira garantiu a eleição de Fernando Henrique Cardoso à presidência, em 1994. Neste livro, Bacha reúne as fábulas que criou para o país fictício chamado Belíndia, e que marcaram uma época de inflação nas alturas, e retraça a trajetória da economia brasileira desde a década de 1970 até os dias atuais.

Screenshot (6)“A revolta de Atlas” (Arqueiro, 2010)
A mitologia grega, o titã Atlas recebe de Zeus o castigo eterno de carregar nos ombros o peso dos céus. Neste clássico romance de Ayn Rand, os pensadores, os inovadores e os indivíduos criativos suportam o peso de um mundo decadente enquanto são explorados por parasitas que não reconhecem o valor do trabalho e da produtividade e que se valem da corrupção, da mediocridade e da burocracia para impedir o progresso individual e da sociedade. Mas até quando eles vão aguentar? Considerado o livro mais influente nos Estados Unidos depois da Bíblia, segundo a Biblioteca do Congresso americano, “A revolta de Atlas” é um romance monumental. A história se passa numa época imprecisa, quando as forças políticas de esquerda estão no poder. Último baluarte do que ainda resta do capitalismo num mundo infestado de repúblicas populares, os Estados Unidos estão em decadência e sua economia caminha para o colapso. Nesse cenário desolador em que a intervenção estatal se sobrepõe a qualquer iniciativa privada de reerguer a economia, os principais líderes da indústria, do empresariado, das ciências e das artes começam a sumir sem deixar pistas. Com medidas arbitrárias e leis manipuladas, o Estado logo se apossa de suas propriedades e invenções, mas não é capaz de manter a lucratividade de seus negócios. Mas a greve de cérebros motivada por um Estado improdutivo à beira da ruína vai cobrar um preço muito alto. E é o homem – e toda a sociedade – quem irá pagar.

RELACIONADOS

Deixe um comentário