Baixa qualificação profissional prejudica competividade da economia

O Indicador do Alfabetismo Funcional (Inaf/2011-2012) revelou que 65% das pessoas com ensino médio completo não apresentam nível pleno de alfabetização e 38% dos brasileiros com formação superior têm nível insuficiente em leitura e escrita.

Para o economista e especialista do Imil Vitor Wilher, a baixa qualificação da mão de obra é o principal gargalo da economia brasileira. “A gente está em um nível considerável de pleno emprego. Mas as empresas têm grandes dificuldades para contratar porque as pessoas desempregadas são muito pouco qualificadas.”

A última edição da pesquisa, produzida pelo Instituto Paulo Montenegro e a organização não governamental Ação Educativa, aponta que apenas 26% da população pode ser considerada plenamente alfabetizada. Os chamados analfabetos funcionais representam 27%, e 47% da população apresentam nível de alfabetização básico.

Wilher ressalta os prejuízos econômicos causados pelas deficiências do setor de educação. “Isso afeta tanto o aumento da capacidade de produção quanto a própria produtividade da economia”, explica.

Sobre a relação entre a queda da competitividade da economia brasileira nos mercados internacionais e o déficit educacional, o especialista afirma: “A questão da mão de obra é central para você entender porque o Brasil não consegue competir em pé de igualdade com outras economias, como a da Alemanha e a da China”.

O especialista criticou a simples associação entre o baixo crescimento econômico e os indicadores macroeconômicos. “Não dá ficar colocando a culpa somente na taxa de câmbio ou na taxa de juros. Hoje, a questão da qualificação da mão de obra é o ponto central de qualquer discussão sobre competitividade da economia brasileira”, concluiu.

 

RELACIONADOS

Deixe um comentário

4 comments

  1. Celio

    Baixa qualificações? hahaha Ou extremo baixos salários ?? Pague um salário decente que aparecerá milhões de competentes… O fato é que quem escreve essas noticias imagina que os Povo recebe os mesmo salários deles. A vdd é que o salário médio em São Paulo é de 800 Reais !!! Mal paga o transporte….

  2. Marcelo

    Hoje a necessidade do nosso brasil é ,começa a reorganizar métodos de salários. O que move nosso trabalho é motivação , hoje trabalho descontente na aria que atuo devido falta de isentivo $$.

    Me diga qual a vantaje de estudar 5 anos em um ensino superior e depois quando fô atua na sua aria ser cobrado , ser pressionado e olha e vê que vc não é valorizado.

  3. Alexandre Teodoro Vieira

    Onde eu trabalho tem gente com ensino médio que não sabe fazer conta de operações fundamentais. Não sabe ler um formulário, interpretação de texto, um relatório. Tem gente que com uma calculadora na mão conseguem errar a conta, eu estou falando de operações fundamentais, a saber, subtração, adição, multiplicação e divisão. Se bem que é verdade que a culpa em parte são dos próprio empregadores que fazem um monte de exigências para qualificações baixas e fomentam estas faculdades que se tornaram fábricas de diplomas.

  4. Superman

    Pelo português escrito nos comentários se nota que, realmente,o nível de qualificação é baixo .