Quarta-feira, 7 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Volta dos investimentos depende de um estímulo claro na economia, diz FGV

Uma recuperação concreta na intenção de investimentos na indústria ainda depende de um fator de estímulo mais claro. A constatação é do superintendente adjunto de Ciclos Econômicos da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Aloisio Campelo. Para ele, é necessário um sinal que mostre aos empresários que a economia está em recuperação e os estimule a voltar a investir. Campelo explicou que a valorização do dólar, principalmente no ano passado, poderia ter sido um estímulo para a indústria, já que as importações diminuíram e os produtos nacionais ficaram mais competitivos tanto no exterior quanto na demanda doméstica. Porém, com a baixa do dólar, esse impulso diminuiu. “Enquanto ainda houver dúvidas em relação à velocidade de recuperação da economia, o investimento tende a vir mais devagar.

A economia está se recuperando, mas não tem um fator de estímulo que seja claro, por enquanto. O setor externo parecia a grande chance, porque estimula a indústria quando a demanda interna está baixa. Mas então o câmbio voltou a cair”, explicou. Segundo o especialista, o estímulo ideal seria com ações governamentais como “programas de concessão, serviços públicos, estradas e portos”, já que o contexto econômico não é favorável. “A via externa não é um drive tão claro e pela expansão monetária também não, porque a inflação tem caído muito devagarzinho. Os juros também estão altos, então não tem como melhorar as condições de crédito. A situação fiscal também é ruim e é um ponto chave para dar um sinal de que a economia vai recuperar seus fundamentos e ter investimento” afirmou.

Fonte: “O Estado de S. Paulo”.

Escreva um comentário

Seu e-mail não será publicado.