Quinta-feira, 8 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Transparência

Leviatã

demetrio-magnoli-iloveimg-resized

Jornalismo se faz no calor da hora; História, só depois que os eventos adormeceram no leito do passado. No ano louco de 1989, Timothy G. Ash conseguiu a façanha de juntar os dois, no livro Nós, o povo (Companhia das Letras, 1990). Escrevendo pouco antes da queda do Muro de ... Leia mais

A rua petista

Denis Rosenfield

O país está vivendo uma explosão de manifestações de rua, que contrastam fortemente com as que caracterizaram as Jornadas de Junho. As atuais nada têm de autônomas, independentes, voltadas para uma noção do bem comum, embora esta fosse tomada de forma vaga. Ao contrário, elas se caracterizam pelo controle, são ... Leia mais

Um país diferente e incrível

Gaudêncio Torquato

Uma no cravo: “Não apareça pensando que o Brasil é a Alemanha”. Outra na ferradura: “O Brasil é um país incrível”. Os dois conceitos, expressos pela mesma boca em menos de uma semana, mostram como a verdade, por estas plagas, é tão relativa quanto as projeções que os brasileiros fazem ... Leia mais

Copa das Copas? Ou das lorotas?

eugenio-bucci

Antes mesmo de o escrete canarinho pisar os abastados gramados inacabados, a máquina publicitária do governo federal já entrou em campo. Tomou conta de todos os intervalos comerciais da TV. Com força. Com garra. Com vontade. Com força total. E também com uma dose considerável do que poderíamos chamar de ... Leia mais

Brasil-Ucrânia, comédia de erros

Rubens Barbosa

Em razão dos possíveis desdobramentos nos campos militar, político e econômico, a crise na Ucrânia tem gerado forte preocupação. Ao confrontar a Rússia, EUA e Europa ressuscitam considerações geopolíticas que gostariam de deixar para trás. Consumada a incorporação da Crimeia ao território russo, o mundo espera o desfecho das disputas ... Leia mais

Por intolerável que pareça

Há bem poucos dias, o IPEA e o IBGE qualificaram-se para a linha de tiro da oposição. As duas instituições encarregadas de fornecer números aos analistas nacionais e às políticas dos setores público e privado foram acusadas de sujeição às conveniências eleitorais do governo e de seu partido. Quando isso ... Leia mais

O Brasil do banquinho de três pernas

Rolf Kuntz

Monteiro Lobato criou um símbolo perfeito para o governo comandado pela presidente Dilma Rousseff, ao sintetizar no banquinho de três pernas o mobiliário e as ambições do caboclo. Para que quatro pernas, se três o sustentam e ainda evitam o trabalho de nivelamento? Os banquinhos do governo estão desenhados com ... Leia mais

Adeus CPI

Paulo Brossard

Outro dia, falava eu em uma espécie de esquecimento que vem se notando entre nós, no tocante aos nossos usos e instituições e não imaginava estivesse a mim reservado assistir ao fenômeno em sua nudez. O que vem de ocorrer quanto às comissões parlamentares de inquérito é um duro e ... Leia mais

O gesto e o fato

Merval Pereira

Depois de meses acompanhando o julgamento do mensalão, já é de conhecimento público que o crime de corrupção passiva, descrito no artigo 317 do Código Penal, é de mera conduta, sendo consumado com o simples ato de aceitar promessa de vantagem, sendo desnecessário o recebimento da propina. Desse ponto de ... Leia mais

Do lobisomem à lenda urbana da gerentona

Rolf Kuntz

Lobisomens, vampiros, assombrações e mulas sem cabeça podem ter apavorado muita gente durante séculos, mas a nenhuma dessas figuras foi atribuído um desastre econômico. Nem mesmo a personagem histórica de Vlad III, príncipe da Valáquia, também conhecido como conde Drácula, o Empalador, foi associada ao descalabro fiscal, à estagnação produtiva, ... Leia mais

PeTerização da Petrobras

Paulo Brossard

Não é necessário ser douto para compreender a enormidade do que foi sendo feito com a Petrobras Em 2005 a empresa belga Astra Oil adquiriu a refinaria de Pasadena, no Texas, por US$ 42,5 milhões. No ano seguinte _ 2006 _, o Conselho de Administração da Petrobras, então presidido pela ... Leia mais

Reeleição e moralidade pública

Sebastião Ventura 1

As campanhas políticas brasileiras vêm, eleição após eleição, apresentando um mesmo enredo: na busca irrefreada de votos, o candidato faz gordas promessas, mas, quando no poder, entrega magras realizações. É incrível como nossos políticos são criativos na hora de prometer, mas agudamente incompetentes no momento de honrar a palavra empenhada. ... Leia mais

Maioria em teste

Merval Pereira

Em tempos normais, em que o governo poderia esperar o apoio do PMDB para impedir a convocação da CPMI sobre a Petrobras, dificilmente a oposição teria êxito na empreitada. Mas a chamada maioria defensiva no Congresso pode não funcionar se o mal-estar entre a base aliada e o governo não ... Leia mais

Cadê a quadrilha que estava aqui?

Guilherme Fiuza 3

Nelson Rodrigues foi novamente convocado por Dilma Rousseff. Sempre que tira os olhos do teleprompter, a presidente sofre em sua árdua missão de fazer sentido. Nelson foi o primeiro a satirizar essa esquerda parasitária escondida atrás de bandeirolas do bem. Hoje talvez o dramaturgo acrescentasse ao “padre de passeata” a ... Leia mais

Uma eleição cheia de “postes”

Gaudêncio Torquato

A ideia lançada por Lula pegou. A eleição de outubro deverá ser a mais povoada de “postes” nesses tempos cheios de surpresas, reviravoltas e maquinações no terreno político. No Maranhão, Ceará, Pernambuco e Bahia, candidatos tirados do bolso do paletó dos chefes do Poder Executivo começam a “iluminar” o ambiente ... Leia mais

Neobrasileirismos ou o sucesso da vaquinha

Roberto DaMatta

Brasileirismos são invenções brasileiras. No campo da musica, da comida e da sexualidade, elas abundam. São brasileirismos o jogo do bicho, o samba, a feijoada, confundir fama com inteligência, não prender autoridade e dizer que bunda não tem sexo. A presença mascarada dos elos pessoais abraçados pela norma do dar-para-receber ... Leia mais

Transparência de meia tigela

Gil Castello Branco

Na semana passada, após pressão da sociedade, 467 deputados federais votaram nominalmente a cassação do mandato do deputado Natan Donadon. Com a cara de pau peculiar à maioria, seis meses depois de considerarem natural manter como “colega” um condenado pelo Supremo Tribunal Federal, mudaram radicalmente de opinião. Certamente, a inversão ... Leia mais

A conversa fiada tem um limite

J.R. Guzzo

Governos mentem à vontade, o que lhes permite atravessar momentos difíceis e jogar nos outros a culpa por seus erros. Mas, em troca, muitas vezes colhem apenas a humilhação, o riso e o desrespeito do público O agente secreto Magnus Pym, personagem central de uma das mais notáveis histórias de ... Leia mais

Credibilidade perdida

Paulo Brossard

Não são poucos os fatos que indicam, a meu juízo, a ocorrência de acontecimentos que podem adquirir feições desagradáveis. Por ora, limitar-me-ei a apontar dados de certa forma preliminares, mas incontroversos quanto à sua ocorrência e notórios no que pertine à autenticidade, uma vez que têm a chancela insuspeita do ... Leia mais