Botão do Cidadão

Acredita em uma agenda positiva para seus candidatos em 2018? Acompanhe prioridades apontadas por nossos especialistas e convidados para construir sua própria opinião!

Marcos Cintra: "A cultura nacional e a nossa estrutura econômica nos impõem um modelo tributário próprio"

"Insistir no IVA fará com que, num prazo não muito distante, o tema reforma tributária esteja novamente na agenda do país"

Marcos Jank: "Não se constrói competitividade com proteção tarifária"

"Ultimamente nossas políticas comerciais têm contribuído mais para nos isolar: altas tarifas, restrições não tarifárias, políticas de conteúdo nacional e a aplicação indiscriminada de medidas antidumping"

Murillo de Aragão: "Nosso sistema eleitoral é injusto e opaco, não expressa a vontade do eleitor"

"Nossas elites são pouco interessadas em participar da renovação, não se mobilizam contra tal situação. Parte por omissão, parte por cooptação"

José Marcio Camargo: "Fim do imposto sindical pode acabar com sindicatos de fachada"

"Ao mesmo tempo, precisamos fazer com que os contratos sejam válidos apenas para os trabalhadores filiados. Aqueles que optarem por não participar, negociariam individualmente com seus patrões"

Fabio Giambiagi: "É preciso ter equilíbrio macroeconômico"

"Contas públicas sob controle, inflação baixa e situação de balanço de pagamentos confortável são hoje requisitos sem os quais dificilmente a expansão da economia deixará de ser efêmera"

Michel Alcoforado: "Jovens não reconhecem a legitimidade dos partidos como única plataforma possível de participação"

"Os jovens entenderam que a política é menos negociação e mais impacto. Eles não acreditam nessa coisa lenta, graduada, de negociação, acerto de contas, do equilíbrio de poder, de forças, que a política tradicional propõe"

Fernando Schuler: "O país precisa experimentar novas formas de gestão da educação pública"

"No plano global, há duas grandes linhas de inovação: os sistemas de voucher, em que o governo oferece uma bolsa e dá direito de escolha às famílias, em vez de gerenciar escolas; e o modelo das escolas charter"

Ives Gandra: "Sistema português seria bom mecanismo para tornar viável a fidelidade partidária"

"Um deputado eleito, se deixasse seu partido, continuaria exercendo o mandato, em respeito à vontade do eleitor, mas não poderia ingressar em outra legenda senão no fim daquele período"

Oscar Vilhena: "A saída dessa crise mais profunda dependerá da construção de um novo projeto de nação"

"O enorme desequilíbrio de poder dentro da sociedade, decorrente da extrema desigualdade, também impacta o modo como as instituições e os diversos segmentos da sociedade se relacionam"

José Pio Martins: "Solução para a pobreza? Mercado e liberdade econômica"

"O mundo não será salvo pelos caridosos, mas pelos eficientes. Mesmo porque, se os eficientes não produzirem, os caridosos não terão o que distribuir."

Sebastião Ventura: "Bons cidadãos precisam voltar a ter protagonismo na política"

"Temos que iniciar um processo de conscientização cívica, para que as pessoas venham debater, propor e colocar em prática assuntos de interesse comum”

Gustavo Grisa: "Precisamos discutir a estabilidade praticamente irrestrita no emprego público"

"É pouco admissível que, com exceção de carreiras específicas, uma pessoa ingresse em determinado serviço e tenha a expectativa de continuar a exercê-lo por décadas, com a mesma descrição de cargo ou função, até a sua aposentadoria"

Mozart Neves Ramos: "Tecnologias podem ajudar a romper com o modelo tradicional de sala de aula"

"É preciso desenvolver novas habilidades no processo formativo para uma educação integral, o que significa incluir, de forma intencional no currículo escolar, habilidades como colaboração, criatividade, pensamento crítico e abertura ao novo"

Joel Pinheiro da Fonseca: "A politização do Brasil é uma oportunidade para vencer desafios históricos"

"Pensar apenas no bem comum e na elaboração intelectual de propostas, sem estratégia ou pragmatismo, é se lançar na irrelevância"

Gil Castello Branco: "No Brasil, a solução passa pela redução do Estado"

"Oligarquias políticas e um grupo restrito de empresários usufruem de vantagens e privilégios, às custas do interesse público"

Gustavo Franco: "Precisamos abrir mais o país"

"Há anos tem sido uma postura diplomática valorizar a diplomacia Sul-Sul e o assento no Conselho de Segurança da ONU em detrimento de um objetivo econômico e diplomático que traz para dentro de casa obrigações, coisa que nossa diplomacia não quer"

Rolf Kuntz: "É preciso repensar o BNDES"

"Falta uma discussão mais concreta sobre estratégias de desenvolvimento. A lista básica de assuntos – melhora da educação, busca de produtividade e competitividade e inserção mais eficiente na economia global – está dada. Mas é preciso mais que isso"

Roberto Troster: "Não podemos deixar o 'projeto Brasil' na mão dos políticos"

Economista acredita que a população e as Instituições devem estar mais ativas na apresentação de soluções para sair da crise

Eugênio Bucci: "Fique de olho no seu próprio comportamento nas redes"

"Se ninguém retransmitisse mensagens suspeitas que recebe, as “fake news” não teriam virado a enfermidade grave que viraram. Isso mesmo. Quem redistribui as calúnias e as infâmias que circulam por aí são pessoas comuns e desavisadas"

Adriano Pires: “Não faz sentido um país como o Brasil ter mais de 150 empresas estatais"

"O país não pode mais ser ser tão patrimonialista. O contribuinte está cansado de pôr seu dinheiro nessas empresas e ver que é aplicado de maneira ineficiente e corrupta"

Alexandre Schwartsman: "Não resolveremos o problema só passando leis"

"Sem controle da despesa obrigatória, não interessa que o teto de gasto esteja inscrito no Código Penal, na Constituição, ou mesmo nos Dez Mandamentos: não há diploma legal que se sobreponha a um fato inexorável"

Fernando Veloso: "A Produtividade Total dos Fatores (PTF) tende a se tornar ainda mais importante no futuro"

"Para aumentar a PTF, é fundamental fazer reformas que permitam que as empresas mais produtivas cresçam, já que esse é um grande obstáculo no Brasil hoje"

Zeina Latif: “Precisamos desafiar o Estado patrimonialista"

"Quando olhamos para a estrutura de gastos no Brasil, percebemos que o que mais cresce é o da Previdência, ocupando uma boa parte do nosso orçamento, que já está deficitário"