Por Thiago Rosa/Redação Portal IMPRENSA

O deputado federal Emiliano José (PT-BA) saiu em defesa de sua legenda e se mostrou crítico a parte da imprensa nacional. Em pronunciamento na Câmara, na última terça-feira (16), o parlamentar repudiou a organização do encontro “Fórum Democracia e Liberdade de Expressão”, organizado pelo Instituto Millenium, dizendo que o evento teve por objetivo promover posições contra o Partido dos Trabalhadores (PT).

Realizado no dia 1º de março deste ano, na cidade de São Paulo, o Fórum reuniu diversos jornalistas do Brasil, Equador, Venezuela e Argentina, com objetivo de discutir as ameaças contra a liberdade de imprensa na América Latina.

Na ocasião, participaram do encontro jornalistas como Marcel Granier, diretor do canal venezuelano RCTV – que teve a licença suspensa pelo governo – o jornalista Carlos Vera, do Equador, além de nomes brasileiros, como o comentarista da TV Globo Arnaldo Jabor e o sociólogo Demétrio Magnoli.

Durante o pronunciamento, o deputado disse que, em meio a denúncias de irregularidades envolvendo membros do partido, como o caso do mensalão, o PIG (Partido da Imprensa Golpista) criado por jornalistas críticos a parcelas do setor, “sai a campo para atacar o PT e o presidente Lula (…) planta notícias falsas, inventa currículos fantasiosos, requenta matérias à falta de fatos consistentes, verdadeiros”.

Emiliano José questionou a organização do evento, que teve participação de cerca de 180 pessoas. “Ali estava a fina flor da direita midiática latino americana, como o âncora de televisão equatoriana, Carlos Vera, que chegou a dizer que o presidente Rafael Correa foi eleito por prostitutas”.

“O PT e as forças democráticas não podem se iludir, não tem o direito de se iludir: a mídia hegemônica está em campanha e, insista-se, tem lado. Quanto à sua natureza partidária, digo isso há muito tempo”, disse o deputado. “O Seminário do Millenium não foi a senha para a abertura da campanha contra o PT, contra Lula, contra Dilma. Isso existe desde sempre. Ele apenas teve o mérito de deixar o reino. A campanha é feita pelo PIG cotidianamente, sem descanso”.

Para o diretor-executivo do Instituto, Paulo Uebel, Emiliano tenta “rotular” as denúncias contra o partido e o governo. Segundo ele, o PT deve buscar “fatos e dados” que comprovem regularidade nas ações, e não “simplesmente criar teorias conspiratórias” envolvendo a imprensa.

Uebel defende a organização do Fórum, ressaltando que o encontro teve caráter apartidário. “(…) Não foi organizado para criticar nenhum partido, mas sim para defender a democracia da América Latina. Alguns painelistas criticaram partidos, mas não só do Brasil”, disse, acrescentando que o deputado tenta “simplificar” o debate.

 

Fonte:http://portalimprensa.uol.com.br/portal/ultimas_noticias/2010/03/18/imprensa34462.shtml

Deixe um comentário