“O profeta da inovação”. A biografia de Joseph Schumpeter

destruição criativa

Joseph Schumpeter (1883-1950) deixou sua marca como o profeta da mudança incessante. Autor do conceito da “destruição criativa”, sua visão era radical: para ele, quase todas as empresas fracassam, vítimas das inovações introduzidas pelas concorrentes. Negócios fortes como dinossauros em dado momento, como Pan Am, Gimbel’s, Pullman, Douglas Aircraft, Digital Equipment Corporation, British Leyland, hoje estão igualmente extintos.

A destruição de empresas, fortunas, produtos e carreiras é o preço do avanço em direção a uma vida material mais próspera. E os homens de negócios correm sérios riscos quando ignoram esta lição: para sobreviver, precisam ser empreendedores e pensar estrategicamente. Para Schumpeter, ainda, a prosperidade gerada pela “máquina capitalista” em muito supera os destroços que deixa para trás. A “destruição criativa”, dizia ele, é a força que move o capitalismo.

Nesta brilhante biografia, aclamada por especialistas e pela crítica estrangeira e ganhadora de diversos prêmios, o vencedor do Prêmio Pulitzer de história Thomas K. McCraw, professor emérito da Harvard Business School, lança luz sobre a vida e a obra de Schumpeter.

Ao longo de uma vida conturbada, que abrange as duas Guerras Mundiais, a Grande Depressão e o início da Guerra Fria, Schumpeter reinventou-se muitas vezes. Do menino-prodígio da virada do século em Viena ao fascinante professor de Harvard, ele foi perseguido pela tragédia e assombrado pelo fantasma de seu rival, John Maynard Keynes.

Em 1983 – centenário de nascimento de ambos –, a revista Forbes considerou Schumpeter, e não Keynes, o melhor navegador das águas turbulentas da globalização. O tempo demonstrou que essa escolha estava certa.

“O profeta da inovação” (Record) é também a história pessoal de um homem repetidas vezes salvo por mulheres que o amaram a ponto de colocar o bem-estar dele acima de seu próprio. Sem elas, Schumpeter provavelmente não teria resistido, tão violentos eram nele os conflitos entre razão e emoção.

Tendo como base todos os escritos de Schumpeter, inclusive diários e cartas íntimas nunca publicados, esta biografia traça um retrato completo de uma figura carismática que pretendia tornar-se o maior economista, o maior amante e o maior cavaleiro do mundo — tendo admitido fracasso apenas com os cavalos.

RELACIONADOS

Deixe um comentário