Shakespeare e a economia

“Shakespeare e a Economia” (Jorge Zahar Editor, 2009)

SINOPSE
Shakespeare, um empresário milionário do ramo do entretenimento de massa? Gustavo Franco e Henry Farnam, abordam aqui o tema de diferentes formas. Visões complementares que revelam uma nova e interessante faceta da vida e obra do bardo.

A economia de Shakespeare
Franco, num ensaio atual, fala da economia do teatro, da linguagem e das companhias teatrais, sua organização e seus resultados financeiros, além de surpreender o leitor com cálculos que mostram como Shakespeare era dono de uma fortuna considerável.

A economia em Shakespeare
Farnam, em texto de 1931, discorre sobre a economia no interior das peças, numa mescla de situações que compõem um interessante painel sobre o surgimento do capitalismo.

RELACIONADOS

Deixe um comentário