Quinta-feira, 8 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

“Propensão ao magistério: uma análise com dados do Enade 2008”

Dentre as 20 metas estabelecidas no novo Plano Nacional Educação sancionado em 2014, está prevista a elaboração de uma política nacional de formação de professores. A intenção é assegurar que todos os professores da educação básica brasileira possuam formação específica de nível superior na área de conhecimento em que atuam. Há, contudo, pouco conhecimento a respeito do funcionamento do mercado de trabalho docente. Os poucos estudos econômicos brasileiros realizados mostram que existe escassez de professores nas salas de aulas, especialmente na área de exatas. O objetivo deste trabalho é identificar mecanismos que possam se associar com a propensão a lecionar por parte de alunos inscritos em cursos de licenciatura. Reconhecer o perfil desses alunos pode fornecer insumos para a política nacional de formação docente e para a problemática de escassez de professores.

A amostra compreende os alunos dos cursos de licenciatura avaliados no exame Enade de 2008. Utilizou-se como variável dependente a resposta à pergunta “ Você quer ser professor? ”, realizada no questionário socioeconômico do exame. Em linha com a literatura internacional, a hipótese assumida é a de que alunos com características socioeconômicas desfavorecidas e menor proficiência acadêmica são aqueles com maior propensão a ingressar no magistério. Utilizando um modelo Logit de resposta binária, os resultados encontrados mostram que alunos com renda familiar mensal menor, que receberam bolsa para custear as despesas do curso e cuja mãe não tem escolaridade têm maior probabilidade de manifestarem vontade de ingressar no magistério. Quanto a proficiência acadêmica, os resultados contrastam com a literatura internacional: alunos com pontuação máxima na prova discursiva têm probabilidade 3% maior,
em média, de manifestarem vontade de ingressar no magistério. Por fim, alunos com maior engajamento em atividades acadêmicas não obrigatórias e com maior contato com o meio e pesquisa acadêmica tinham mais propensão a manifestarem desejo em ingressar no magistério, ceteribus paribus. As competências adquiridas nessas atividades poderiam explicar o último resultado encontrado. Conclui-se que aproximar os estudantes das atividades científicas é um caminho a ser explorado pelas autoridades à frente das reformas de formação docente.

“Propensão ao magistério: uma análise com dados do Enade 2008″

Escreva um comentário

Seu e-mail não será publicado.