Quinta-feira, 8 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Casa da Liberdade

Que desafios o Brasil precisa enfrentar? O que está acontecendo com a democracia na América Latina? Como fortalecer a democracia no Brasil e no mundo? Essas e muitas outras questões que inquietam o Brasil e o mundo foram temas dos debates da Casa da Liberdade, que reuniu especialistas brasileiros na Festa Literária Internacional de Paraty (Flip 2015).

Especialistas do Instituto Millenium, José Álvaro Moisés, Fernando Schüler, Luiz Felipe D’Ávila, Adriano Pires, Eugênio Mussak, Marcos Troyjo e Leandro Narloch participaram do evento, assim como a cientista política e professora da PUC-Rio Maria Celina D’Araújo.

O relançamento da “Corrupteca” se destacou na programação da Casa da Liberdade. Trata-se da maior biblioteca digital sobre corrupção e busca de transparência em políticas públicas do mundo. Em sua nova fase, a “Corrupteca”, desenvolvida e mantida pelo Núcleo de Pesquisa de Políticas Públicas (Nupps) da Universidade de São Paulo (USP), reúne mais de 8 milhões de itens pesquisáveis. O acervo conta com notícias do jornal “O Estado de S. Paulo” desde 1875 até os dias atuais.

A 5ª edição da Casa da Liberdade foi uma realização do Instituto Voto em parceria com o Instituto Millenium. Assista aos vídeos dos debates e comente!


A cientista política Maria Celina D’Araújo destaca a retomada da tradição caudilhesca na América Latina


O cientista político Fernando Schüler ressalta a importância do respeito à autonomia dos poderes


Segundo o cientista político Luiz Felipe D’Ávila, o Estado não corresponde aos anseios da sociedade


José Álvaro Moisés fala sobre o lugar central da participação na noção de liberdade


O professor Eugênio Mussak relaciona três atitudes que devem ser adotadas em momentos difíceis


Adriano Pires critica a intervenção excessiva do Estado em energia


Relançamento da Corrupteca, biblioteca digital que ajuda a compreender o fenômeno da corrupção


O escritor Jorge Caldeira fala sobre o sentido de liberdade para Julio Mesquita

Escreva um comentário

Seu e-mail não será publicado.