No premiado livro de Suzanne Chantal, “A vida quotidiana em Portugal depois do terremoto de Lisboa de 1755” (Hachette, 1962),
Continue lendo