"Insistir na nova matriz econômica é dar murro em ponta de faca", diz Samuel Pessôa