Quinta-feira, 8 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Tag: commodities

Investimentos chineses são empurrão de curto prazo

Brasil China

Os cerca de US$ 53 bilhões em investimentos chineses chegam para alavancar a economia brasileira em um momento de desaceleração. Mas a injeção de capitais não substitui a necessidade de uma agenda de reformas, alertam economistas. Para Cláudio Frischtak, da Inter.B consultoria, os primeiros efeitos podem ocorrer já no PIB ... Leia mais

Reduzir o contágio

Zeina Latif (nova)

Os preços de ativos no Brasil se mostram relativamente mais sensíveis ao ambiente externo em comparação ao passado. Como o cenário externo seguirá desafiador, principalmente pelo comportamento dos preços das commodities no mercado internacional, convém o país procurar se blindar. Apesar da elevada liquidez mundial, os investidores estão menos tolerantes ... Leia mais

Flexibilidade

Zeina Latif (nova)

Pelas manifestações de autoridades de alguns países emergentes, muitos estão vendo o fim do super-ciclo de commodities como uma “benção disfarçada”. A crença é que a queda de preços de commodities e, portanto, dos termos de troca, e a consequente depreciação das moedas em curso poderá ajudar a diversificar a ... Leia mais

República de bananas ou de inovadores?

Ricardo Amorim 350x263

O termo República de Bananas nasceu para menosprezar países da América Central dependentes deste produto e, como consequência, facilmente manipuláveis política e economicamente. Bananas e outras commodities são produtos ou serviços com pouco ou nenhum diferencial, e que por isso podem ser substituídos pelo produto ou serviço oferecido pelo vizinho ... Leia mais

Fixação do preço da gasolina

Ao longo do governo FHC, o setor de petróleo foi preparado para uma regulação de mercado. A introdução de competição em todos os elos da cadeia produtiva do petróleo permitiria que o preço da gasolina e de seus derivados fosse determinado no mercado. Para tal, era necessário construir condições para ... Leia mais

Desastre no comércio exterior

Continua mal o comércio exterior brasileiro, com déficit de US$ 224 milhões em outubro e saldo negativo de US$ 1,83 bilhão no ano, mas a pior notícia sobre a balança comercial é outra: o governo ainda se recusa a admitir a gravidade dos problemas e insiste em tratá-los como passageiros. ... Leia mais

Brasil-China: bom ou ruim?

Marcos Troyjo

Em maio de 2004, durante visita de estado à China, o presidente Lula disse a uma plateia de empresários (na maioria brasileiros): “a China é um shopping center de oportunidades”. Na ocasião, o comércio Brasil-China era de US$ 9 bilhões. Hoje, beira US$ 90 bilhões. Será então que aproveitamos as ... Leia mais

Ventos de fora

Julio Hegedus

Tivemos uma trégua na semana passada, diante do bom comportamento da inflação no Brasil. No exterior, também observamos avanços, com a economia norte-americana apresentando bom ritmo de recuperação e a China divulgando indicadores favoráveis, mostrando capacidade de compatibilizar, por enquanto, crescimento e inflação e afastando o risco de hard landing, ... Leia mais

Cego em tiroteio

Cego em tiroteio

Nunca antes na história deste país se viu tantas medidas de governo serem desfeitas em tão pouco tempo. O governo Dilma está perdido, sem rumo, sem saber como reagir ao desabamento de sua popularidade, ao risco inflacionário, ao pífio crescimento. Falta um plano de voo, um mapa correto do território. ... Leia mais

Anatomia de um choque

Alexandre Schwartsman

Não é segredo que o Banco Central trata o recente aumento do preço internacional de commodities agrícolas como um “choque de oferta”, com implicações fortes para a política monetária. Pressupõe-se que seja um fenômeno semelhante à elevação das tarifas de serviços públicos, ou dos preços de petróleo, que tendem a ... Leia mais

Tem, mas acabou

Alexandre Schwartsman

Eu bem que queria escrever sobre a ata do Copom, mas, mesmo sob a nova frequência semanal, outros temas me forçaram a adiar o assunto. Não acho, porém, que tenha perdido a atualidade, pois me parece claro que, se restava ainda dúvida acerca da sobrevivência do regime de metas no ... Leia mais

Uma crise fora de padrão

Rolf Kuntz

Há algo fora do padrão na economia brasileira, observam dois economistas do HSBC. É a erosão das contas externas, em tempo de baixo crescimento econômico. O superávit comercial ficou em US$ 12,1 bilhões até a terceira semana de agosto, resultado 34,3% menor que o de um ano antes, pelo critério ... Leia mais

Efeitos da desaceleração chinesa

Marcos Troyjo

Poucos beneficiaram-se tanto da vertiginosa ascensão econômica chinesa das últimas décadas quanto o Brasil. Em 2004, durante visita de Estado à China, o então presidente Lula declarava — num seminário empresarial com participantes majoritariamente brasileiros — que a China representava para o Brasil “um shopping center de oportunidades”. Esta plataforma ... Leia mais

O contágio chega à América

Paulo Rabello de Castro

O economista Michael Feroli, do J. P. Morgan, assim falou sobre os novos índices do ISM – Institute for Supply Management: “Agora estamos (nos EUA) começando a sentir a infecção”. Ele reflete a mudança de opinião da maioria dos analistas, que vinha, até então, excetuando a economia americana do rol ... Leia mais

Reestruturar o comércio exterior

Marcos Troyjo

A crise global pode fazer com que as estratégias de desenvolvimento de Brasil e China percorram trajetórias diagonalmente opostas. Por um lado, os chineses devem abandonar um pouco a ênfase em exportações como motor do crescimento. Buscam igualmente baixar o elevado teto de poupança interna, estimulando o consumidor chinês a ... Leia mais

A doença holandesa e a punição do sucesso

Maílson da Nóbrega

Tem-se afirmado que o Brasil pegou a doença holandesa, ou seja, o efeito de descobertas ou aumento de preços de recursos naturais, que valorizam a taxa de câmbio e por isso acarretam desindustrialização. A ideia foi criada pela revista “The Economist” em 1977, inspirada no surgimento das reservas de gás ... Leia mais

Dilema

Alexandre Schwartsman

Cada unidade exportada pelo Brasil em 2011 podia comprar 34% a mais do que em 2001 Leitor voraz de jornais, deparei-me há uns dias com a declaração de uma figura do alto escalão econômico do país comemorando a queda do preço das commodities, que, segundo ele, abriria espaço para a ... Leia mais