Seria bom se fosse como na canção de Caetano, “nada nos bolsos ou nas mãos, eu quero seguir...