Especialista do Imil critica visão dominante nas redes sociais