A crise ucraniana é um repto à UE, que precisa definir se ainda pretende encarnar o “sonho europeu” “A política de ‘não-interferência’ ...