Empresário critica o movimento de ocupação de escolas estaduais