Domingo, 11 de dezembro de 2016
Mantenedores mantenedores

Tag: política monetária

Vício em compromissadas

economy-iloveimg-resized-iloveimg-cropped

*de Felipe Salto e José Roberto Afonso O impacto das OCs na economia O que são as operações compromissadas (OCs) realizadas pelo Banco Central (BC)? Não é assunto simples, mas é indispensável que seja bem conhecido, pelo forte impacto negativo que produz na economia. Trata-se de uma forma algo disfarçada ... Leia mais

Substituindo uma regra fiscal perversa

zeina

Há uma recomendação de política econômica em relação ao funcionamento dos bancos centrais que é a de “amarrar as mãos” da autoridade monetária quando ela não consegue fazer bem seu trabalho, que é manter a inflação baixa. No jargão técnico, essa recomendação significa a adoção de regras para disciplinar a ... Leia mais

No meio do atoleiro, fora do debate dos gringos

BLOG45 SAO PAULO 08/02/2010 BLOG/COLUNISTAS/Colunista,  Rolf Kuntz  FOTO IVAN DIAS/AE

Só os muito otimistas podem ver alguma boa notícia nos últimos números da inflação, ou até um sinal verde para um primeiro corte de juros. Além de entravar o crescimento econômico, financiamento muito caro dificulta a arrumação das contas de governo e atrapalha, de modo especial, o controle da dívida ... Leia mais

Ousadia para parar

Zeina Latif

O Banco Central começou a fazer as pazes com as expectativas inflacionárias. Não para este ano, que seguem em alta, sentindo os erros passados de política econômica, mas para o médio/longo prazo, que é o que importa para avaliar a credibilidade da autoridade monetária. Os agentes econômicos sabem que nada ... Leia mais

Novas estimativas do produto potencial

Edmar Bacha

*Edmar Bacha e Regis Bonelli Tentar calcular o potencial de crescimento de um país é uma atividade irresistível para muitos economistas, inclusive para os autores. Recentemente, concluímos um exercício deste tipo para o Brasil. Renegociada a dívida externa e vencida a hiperinflação, o país não conseguiu superar essa faixa mais ... Leia mais

Pensando os bancos no Brasil (II)

Roberto Luis Troster

Este segundo artigo da série em epígrafe trata da tributação financeira e das distorções que causa, e sugere correções. Na intermediação bancária no Brasil incidem o IOF, imposto sobre operações financeiras, contribuição social, PIS, Cofins e IRF, imposto de renda na fonte, que são federais e ISS – imposto sobre ... Leia mais

Risco emergente

Henrique Meirelles 2

O cenário mais provável para os próximos anos é o de um ambiente externo de menor liquidez e com taxas de juros internacionais mais altas do que nos últimos anos. Após a crise de 2008, os Bancos Centrais de países ricos –EUA, Japão, Reino Unido e agora Zona do Euro– ... Leia mais

O joio e o trigo

Zeina Latif 1

Por Zeina Latif e Marcos de Barros Lisboa A decepção com os resultados da economia tem levado a críticas disseminadas à política econômica que acabam por obscurecer diferenças importantes na gravidade dos problemas a serem enfrentados. Existe uma compreensível frustração com a condução da política monetária, sobretudo em comparação com ... Leia mais

Derruba, sim…

Alexandre Schwartsman

Desde abril de 2013, o BC elevou a taxa Selic de 7,25% para 10,75% anuais, mas a inflação permanece alta e há receio de que possa até mesmo ultrapassar o máximo permitido (6,5%) ao fim deste ano. Diante disso há quem se pergunte se teria havido algum enfraquecimento recente dos ... Leia mais

Tomates, pepinos e juros

Gustavo Franco

Há uma síndrome que costu­ma acometer as autorida­des brasileiras quando se trata de inflação: a dificul­dade em perceber que se trata de um esporte coletivo. A inflação não é fruto de jogadas individuais que encantam ou irritam torcedores e dirigentes, de vilões ou heróis facilmente identificáveis, mas do trabalho de ... Leia mais

A inflação, o BC e os lírios do campo

Rolf Kuntz

Olhai os lírios do campo. Essa bela exortação, a mais poética do Sermão da Montanha, bem poderia abrir a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), quando os dirigentes do Banco Central (BC) decidiram, de novo, depender da Providência, em vez de atacar a inflação. Nada altera ... Leia mais

Nem o bê-á-bá

Alexandre Schwartsman

O ministro da Fazenda afirmou recentemente que “o câmbio não é instrumento para controlar a inflação, o instrumento é o juro”. Poderia ser uma indicação de que, finalmente, as coisas passaram a fazer sentido no ministério, mas, sério, a (merecida) má reputação na condução da política econômica não se conserta ... Leia mais