A dissidente cubana Yoáni Sanchez diz ter "pena" daqueles que tentaram impedi-la de falar em sua visita ao Brasil e defende investigação sobre os protestos