“Sem os partidos”, vaticinou Gilberto Amado, em “Eleições e representação” (1931), “a representação proporcional é um aparelho morto, uma usina ...