"A agenda brasileira ainda é uma versão requentada das reformas da década de 1990"