“Seu Gustavo”, interfonou o porteiro do meu prédio, “o senhor não vai escrever nada sobr...