Paulo Gontijo esclarece que não. "Votos nulo e branco favorecem quem está na frente"