O cientista político José Álvaro Moisés. Flip 2015.

Uma referência em pesquisa e informação sobre a corrupção. Este é um dos objetivos da Corrupteca, biblioteca digital especializada em corrupção que foi relançada na Casa da Liberdade, durante a Festa Literária Internacional de Paraty. Em sua nova fase, a Corrupteca, desenvolvida e mantida pelo Núcleo de Pesquisa de Políticas Públicas (Nupps) da Universidade de São Paulo (USP), reúne mais de 8 milhões de itens pesquisáveis. O acervo conta com notícias do jornal “O Estado de S. Paulo” desde 1875 até os dias atuais. Neste vídeo, Giovanni Eldasi, diretor de tecnologia do projeto, Roberto Gazzi, diretor de desenvolvimento editorial de “O Estado de S. Paulo” e o cientista político José Álvaro Moisés, diretor científico da Corrupteca, ressaltam a importância de pesquisadores e a sociedade se aproximarem cada vez mais do tema, como forma de entender e combater o fenômeno que assola o Brasil. “Uma das armas da corrupção são as decisões ocultas, tomadas sem que a população saiba o que está acontecendo. Por essa razão, trazer à tona, analisar o que ocorreu, dar conhecimento é um recurso para enfrentar a corrupção”, destaca José Álvaro. Assista ao vídeo e entre no site da Corrupteca.

Deixe um comentário