Brasil vence competição da L’Oréal Paris

"Nós somos páreos para o mundo”, diz estudante que deu conquista inédita para o país

Loreal Insper

Pela primeira vez em 25 edições, o Brasil foi vencedor da Tech Challenge of the L’Oréal Brandstorm, competição internacional de inovação e tecnologia realizada em Paris, na França, durante o mês de junho. O projeto criado pelos estudantes Felipe Buniac, Matheus Marotzke e Luca Noto, alunos do curso de engenharia do Insper, foi selecionado em meio a outros oito mil trabalhos inscritos por participantes de todo o mundo.

O desafio proposto pela L’Oréal era criar um produto inovador, sustentável e tecnológico para homens de 18 a 26 anos através da linha Men Expert. Os jovens brasileiros observaram que esse público-alvo encontra alguns desafios durante o processo de compra, como a falta de disponibilidade de ir ao ponto de venda, a dúvida na escolha dos produtos e a dificuldade em achar itens personalizados. A partir daí, os estudantes criaram a Unique.

“A ideia é que o usuário converse com a Lorrie, que vai entender características da sua pele, cabelo, analisar seus gostos e necessidades e, a partir disso, definir qual é o melhor produto para ele. Dessa forma, produziremos três cápsulas biodegradáveis, que serão entregues em casa. Elas são divididas em três categorias: base, princípio ativo e aroma. Por fim, o homem deve acoplá-las a um dispenser, que unifica as substâncias e fabrica o produto final, eliminando toda a embalagem”, explicou Matheus. “Dessa forma, você tem um produto sustentável e personalizado, criando uma base específica para cada usuário”, completou Felipe.

O concurso teve quatro grandes etapas de disputas entre brasileiros e americanos, até definir quem iria para Paris concorrer ao prêmio de 10 mil euros. A competição final foi organizada em modelo de feira, onde as equipes ficavam em stands e apresentavam seus projetos. Por fim, os jovens realizaram um pitch para uma plateia de executivos e o CEO da L’Oréal Paris Jean Paul Agon.

“Nós não somos o país mais desenvolvido tecnologicamente, mas mesmo assim fomos para lá e mostramos que sabemos fazer. Isso traz um grande valor e abre os olhos do mundo para gente, nós somos páreos para o mundo”, comentou Matheus.

“Por mais que fosse uma competição, todas as equipes brasileiras ficaram muito amigas e nos pediram para que representassem o país como se estivessem lá com a gente. Não era mais uma disputa Brasil contra Brasil, mas sim Brasil contra o mundo”, finalizou Felipe.

RELACIONADOS

Deixe um comentário

1 comment

  1. Celso

    Parabens!! Adorei a noticia. Eu tambem acho que o nosso talento pode conquistar o mundo.