“É preciso entender o mercado”

FR12 SÃO PAULO - SP - 13/01/2017 - CARREIRAS - ADVOCACIA - Foto do advogado Nichollas de Miranda Além, que participa do Instituto de Direito, Economia Criativa e Artes e tem um jeito informal de exercer a advocacia. FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO

A consolidação da economia criativa e da economia colaborativa levou ao surgimento de novos contratos de trabalho, novos perfis profissionais, novos comportamentos etc. Essas mudanças precisam ser acompanhadas de uma modernização no campo das leis, no Direito. No Brasil, ainda não há uma formação específica em Direito do Entretenimento.

Por isso, muitos advogados criaram alternativas para atender a essa nova demanda do mercado, como é o caso do J-LAB Coletivo de Advogados. O advogado Nichollas Alem, um dos fundadores do coletivo, afirma que nesse novo contexto econômico não basta ter apenas o conhecimento teórico do Direito. É preciso ir além e entender o mercado.

“Se você vai atuar na área de produção audiovisual, de cinema, precisa entender o que é um contrato de coprodução, de repartição de royalties”, explica.

Ouça!

RELACIONADOS

Deixe um comentário