ISP: roubo de veículos no Rio subiu mais de 50% em agosto

De acordo com os dados, a cada 10 minutos um carro foi roubado no estado

Em agosto, a cada dez minutos, um carro foi roubado no Estado do Rio. De acordo com um levantamento das ocorrências criminais daquele mês, divulgado nesta segunda-feira pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), houve um aumento de 51,6% na quantidade de casos em comparação com o mesmo período do ano passado, quando delegacias fizeram 3.041 registros – o número saltou para 4.613.

Considerando os período de janeiro a agosto deste ano e de 2016, o aumento foi de 43,9%, ou 11.321 veículos a mais roubados. A maioria dos crimes ocorreu nas áreas do 7ºBPM (São Gonçalo), com 578 casos, 20ºBPM (Mesquita, Nova Iguaçu e Nilópolis), com 484, e 15ºBPM (Duque de Caxias), com 421.

A estatística de roubos de cargas, modalidade de crime que é um dos focos da atuação das tropas das Forças Armadas que participam, no estado, do chamado Plano Nacional de Segurança, também teve aumento em comparação com agosto de 2016: 11,01%. Foram 843 casos. No entanto, considerando o balanço do mês anterior, houve uma redução de 65 registros.

Entre os roubos de cargas praticados em agosto, 389 ocorreram na capital, principalmente em bairros cujo policiamento é feito pelo 41ºBPM (Irajá). É na região que fica os complexos do Chapadão e da Pedreira, áreas que, de acordo com registros em delegacias, tiveram 87 caminhões atacados. A Baixada Fluminense somou 256 casos, 109 só em Duque de Caxias.

Para Lênin Pires, especialista em segurança pública e professor da Universidade Federal Fluminense (UFF), apesar da redução do número de cargas roubadas na comparação entre julho e agosto, esse tipo de crime não foi combatido de forma adequada.

 – É necessário ter um tratamento mais sistêmico e dedicado à prevenção. Com uma maior integração de dados, forças federais e estaduais podem organizar melhor seus efetivos e atender às ocorrências de maneira mais dinâmica.

O ISP também apontou um aumento de 1,3% no número de homicídios dolosos em agosto – foram 392, cinco casos a mais que no mesmo mês do ano passado. No acumulado dos oito primeiros meses deste ano, o aumento é mais expressivo: foram 3.485 casos, 258 a mais em relação a 2016 (8%).

Os registros de letalidade violenta, que reúne homicídios, latrocínios, autos de resistência (homicídios decorrentes de intervenções policiais) e lesão corporal seguida de morte, aumentaram 0,6%. Em número absolutos, passou de 479 casos para 482. Nos oito primeiros meses de 2017, foram 443 registros a mais.

Os autos de resistência apresentaram queda numa análise que considera apenas o mês: de 74 casos, em 2016, para 70, este ano. No acumulado de janeiro a agosto, contudo, o resultado é inverso. Houve um aumento de 29,9%, ou 164 casos a mais.

Os números de roubos praticados dentro de ônibus e de celulares também subiram. A primeira modalidade teve um aumento de 39,6%, chegando a 1.638 casos, ou um a cada 27 minutos. O município do Rio registrou 923; e a Baixada, 521. Já a quantidade de telefones levados por bandidos foi 2.419, ou um a cada 18 minutos. Segundo o ISP, o aumento foi de 37,9% em relação a agosto de 2016, e de 31,4% no acumulado dos oito meses.

Entre os indicadores de produtividade policial, houve um aumento expressivo na recuperação de veículos: 67,7%. O número de armas apreendidas também cresceu: foram 745 em agosto de 2017, ante 659 no mesmo período do ano passado.

Fonte: “O Globo”

RELACIONADOS

Deixe um comentário