Os reflexos do Custo Brasil

Por Diogo Schroeder Horn

A população brasileira que viaja ao exterior, ao seu retorno, percebe que fica cada vez mais difícil comprar produtos como eletrônicos, roupas e materiais esportivos no Brasil. Muitas vezes, a diferença de preço chega a ser cinco vezes superior. Mas afinal de contas, por que nossos produtos possuem um valor tão alto se comparado com a média mundial?

Bem, os motivos são muitos. Para começar, a alta taxa de impostos é diretamente repassada ao valor de nossas mercadorias. Em média, o valor de impostos de um produto fica em torno de 40%.

A péssima infraestrutura do país faz com que os custos de logística para escoar nossa produção seja um dos mais caros do mundo. Sem contar o tempo perdido no transporte de mercadorias. Não é à toa que no site do World Economic Fórum o Brasil consta na 107a posição em infraestrutura, em uma comparação entre 144 países.

A burocracia que enfrentamos também é um grande entrave produtivo e tem reflexo direto no custo de nossa produção. Este item, em específico, é notório antes mesmo da produção existir. Determinados bens de consumo demoram semanas, até mesmo meses desde o início da abertura da empresa até o produto final chegar ao comércio.

A sensação que temos é que estamos sendo ‘roubados’ em nosso país

Por fim, mas não menos importante, destaco o alto custo da mão de obra brasileira. Há pesquisas que mostram que o custo da mão de obra no país está se aproximando do valor da americana. A diferença é que o trabalhador americano tem uma capacidade de produção pelo menos quatro vezes maior que a média do trabalhador brasileiro.

Para deixar claro, não falo mal da qualidade dos nossos produtos, muito pelo contrário. Em vários casos, a qualidade da nossa produção é superior se comparada a produtos importados, como exemplo os nossos calçados, que são muito bem reconhecidos internacionalmente. O que acontece é que a medida que nós brasileiros viajamos ao exterior, e nos deparamos com mercadorias muito mais baratas que as produzidas aqui, a sensação que temos é que estamos sendo “roubados” em nosso país.

Mesmo em 2012, com o dólar em média 12% mais caro que em 2011, o brasileiro bateu recorde de compras no exterior. No acumulado de janeiro a novembro, as despesas de brasileiros no exterior somaram US$ 20,24 bilhões. Valor este que é 3,87% maior que o registrado em igual período de 2011 (US$ 19,48 bilhões).

Ainda temos muito a melhorar para nos tornarmos um país competitivo. Diversas reformas precisam ser feitas urgentemente, como a tributária e a trabalhista. Mas infelizmente estes importantes assuntos são apenas promessas de campanhas. E quem paga essa conta toda? Nós brasileiros, principalmente os que não têm condições de viajar eventualmente ao exterior.

*Diogo é empresário associado do Instituto de Estudos Empresariais e leitor do site do Instituto Millenium

RELACIONADOS

Deixe um comentário

2 comments

  1. Conrado

    Faltou aí dizer que falta o governo investir pesado na parte da logística e na desburocratização administrativa, que tanto encarece a nossa produção industrial.

  2. MOISES

    E a corrupção institucionalizada?