Imprensa internacional comenta sucessivas crises do governo Dilma

Jornais ao redor do mundo comentaram a demissão do ministro dos Transportes  Alfredo Nascimento e lembraram que a saída acontece menos de um mês após a queda de Palocci, da Casa Civil.

Leia abaixo a relação de jornais e  alguns trechos das matérias:

jornal espanhol “El País”: “Uma maior intransigência contra a corrupção poderia criar a Dilma graves problemas na hora de governar e tomar decisões. Ela sabe disso e quem a conhece asseguram que a presidente está disposta a pagar essa conta antes de parecer débil em matéria de corrupção”.

jornal argentino “Clarín”: “Ao final do seu governo de sucesso, quando se preparava para deixar o poder nas mãos de sua afilhada política, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva alardeava ter superado la ‘herança maldita’ que, o antecessor Fernando Henrique Cardoso havia lhe deixado. Agora, sua sucessora, Dilma Rousseff, enfrenta o desafio de se sobrepor à ‘herança maldita’ que, na política, parece ter sido deixada por seu padrinho. Em somente seis meses de governo, a gestão de Dilma sofreu com duas saídas e, em ambos os casos, foram ministros deixados no poder por Lula”, publicou o jornal argentino.”

O “The Washington Post” noticiou que o ministério é responsável por um orçamento de milhões de dólares. O “The Wall Street Journal” disse que, antes da demissão, Alfredo Nascimento tinha concordado em cooperar com as investigações.

O jornal francês “Le Monde” afirmou que Alfredo Nascimento tinha tentando apagar o fogo quando informou que todas as licitações do ministério estavam suspensas por um período de 30 dias. Mas, diante de novas denúncias, a situação do então ministro se complicou.

Fonte: “O Globo”

Leia mais no site do Instituto Millenium em:  “A armadilha”, artigo de Rolf Kuntz http://www.institutomillenium.org.br/artigos/a-armadilha/ sobre os escândalos do governo Dilma

 

 

RELACIONADOS

Deixe um comentário

1 comment

  1. Regina Brasilia

    É o Brasil-empada, aquele que se desmancha ao toque do desgoverno petista, para exportação.